sábado, 3 de julho de 2010

O Poderoso Chefão!!!



Entre o pessoal que gosta e estuda cinema, mas renega os clássicos da época de ouro da sétima arte – por preconceito ou mesmo aversão ao preto e branco – O Poderoso Chefão consta quase sempre como favorito. Eu não me encaixo nesse perfil, e também tenho grande apreço pela obra-prima de Coppola, que vi pela primeira vez muito nova e depois revi algumas muitas vezes. Baseado no livro de Mario Puzzo, O Poderoso Chefão inovou como primeiro grande filme a mostrar o mundo da máfia pelo lado dos mafiosos, e no seu ritmo. Acima das críticas que tal tipo de filme sempre receberá por estar fazendo, dizem, apologia ao crime, O Poderoso Chefão é uma obra de arte delicadamente construída.

Ali temos de tudo: um extenso e inteligente roteiro, fotografia e montagem impressionantes, atuações majestosas – só Marlon Brando já justificaria a película – e uma trilha sonora inteligente, tudo sob uma direção impressionante, que Coppola não conseguiria mais repetir. O grande trunfo do filme, e um dos maiores motivos das críticas negativas, é o glamour operístico com que a história de sangue e traições foi retratada. As mortes são poéticas, as traições são inteligentes, os maiores canalhas são charmosos, a ponto de rirmos invariavelmente de situações que, em outros casos, nos dariam repulsa e nojo.

O Poderoso Chefão inaugurou praticamente um novo gênero no cinema, do crime como o faroeste urbano. Mas dessa vez o vilão é o cowboy, e também aqui torcemos por ele. O comportamento da família Corleone e de seus rivais acabaria por influenciar decisivamente outros filmes e mesmo o imaginário popular americano, tanto em relação à máfia quanto aos imigrantes italianos em geral. O filme ainda conseguiria a façanha de se tornar mais popular que o livro de Puzzo e ter duas continuações sendo também indicadas ao Oscar de melhor filme (apenas a terceira parte não saiu vencedora).

Acho incrível que existam pessoas que se dizem cinéfilos e nunca tenham assistido esse filme! No sentido estrito da palavra devo discordar de quem se entitula de tal maneira,e se restringe apenas a conhecer as novas super produções passadas no cinema local!

Comparações são dispensadas. Quem gosta e entende de cinema sabe o que eu estou falando!


Nenhum comentário:

Postar um comentário