quinta-feira, 24 de junho de 2010

Com vocês João Gilberto!


Poucos artistas são tão comentados quanto o baiano João Gilberto.Os defensores o consideram genial, praticamente o inventor da música brasileira moderna. Os detratores dizem que ele é chato, excêntrico e falta aos shows, além de cantar apenas fazendo nhém-nhém-nhém.

Tudo isso é compreensível. De fato aborrece um pouco essa idolatria permanente, da parte de pessoas que o tratam como um Deus que não pode jamais, em momento algum, ser questionado por qualquer razão que seja. Também é chato ver pessoas agindo como se antes de ele gravar “Chega de Saudade” não houvesse vida musical inteligente neste país. De resto, ninguém gosta muito desse tipo de idolatria mesmo. Até Pelé, como não pode ser questionado enquanto supercraque, é o tempo todo ridicularizado por seus comentários (claro que ele fez análises tolas e previsões desastrosas. Mas se fôssemos jogar pedras em todos os que fazem ou fizeram isso, quem estaria na mídia esportiva hoje em dia? Sobraria alguém imune a esses dissabores?).

Mas isso não pode nos cegar a alguns fatos claros e límpidos. Primeiro, que ele não tem culpa pelo fanatismo cego de seus seguidores. E se ele é chato, excêntrico e falta shows, isso diz respeito somente a quem convive com ele ou insiste em comprar ingressos mesmo sabendo que ele pode simplesmente não aparecer.

Mas há duas coisas que se sobrepõem a todas as outras. João Gilberto canta muito. Excessivamente. Na minha modesta opinião, fica apenas atrás de seu ídolo Orlando Silva, disputando cabeça a cabeça o segundo lugar com o monstro Francisco Alves.

Finalmente: ele REALMENTE revolucionou a música brasileira. Não a inventou, antes dele teve muita gente muito boa e até genial. Mas negar que depois de João Gilberto a música brasileira nunca mais foi a mesma é fazer questão de ser estúpido.

Abraços :)

Nenhum comentário:

Postar um comentário