quinta-feira, 13 de maio de 2010


Eu não ando só
Só ando em boa companhia
Com meu violão
Minha canção e a poesia

Para viver um grande amor, preciso
É muita concentração e muito siso
Muita seriedade e pouco riso
Para viver um grande amor
Para viver um grande amor, mister
É ser um homem de uma só mulher
Pois ser de muitas - poxa! - é pra quem quer
Nem tem nenhum valor
Para viver um grande amor, primeiro
É preciso sagrar-se cavalheiro
E ser de sua dama por inteiro
Seja lá como for
Há de fazer do corpo uma morada
Onde clausure-se a mulher amada
E postar-se de fora com uma espada
Para viver um grande amor

Para viver um grande amor direito
Não basta apenas ser um bom sujeito
É preciso também ter muito peito
Peito de remador
É sempre necessário ter em vista
Um crédito de rosas no florista
Muito mais, muito mais que na modista
Para viver um grande amor
Conta ponto saber fazer coisinhas
Ovos mexidos, camarões, sopinhas
Molhos, filés com fritas, comidinhas
Para depois do amor
E o que há de melhor que ir pra cozinha
E preparar com amor uma galinha
Com uma rica e gostosa farofinha
Para o seu grande amor?



Ah Vinícius ja dizia o velho e sábio Chico: Poeta, Poetinha , Vagabundo!
Quem dera , todo mundo fosse igual você!
Vou começar a esse blog com o pé direito postando a infalível receita do velho saravá!
Os anos passam e essa música continua atualíssima no bem querer feminino.
O velho foi inigualável nos recursos poéticos!
Agora interprete a composição e se delicie com a maestria da construção do poeta!

Abraços

Nenhum comentário:

Postar um comentário